30 anos: De um sonho a uma referência para o mundo

Por Jean Paterno

De um sonho a um evento que virou referência em organização, qualidade e resultados. Essa talvez seja a melhor síntese para explicar o Show Rural Coopavel, que chegou à sua edição de 30 anos no início de fevereiro último. O diretor-presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, esteve na Acic na noite quinta-feira, 1º de março, para fazer um balanço do evento e uma recuperação histórica da terceira maior feira do mundo em transmissão de conhecimentos para o campo. O presidente esteve acompanhado de coordenadores de áreas da feira e de diretores da cooperativa.

A Coopavel, que tem quase seis mil colaboradores e cinco mil filiados, é a 12ª maior cooperativa brasileira e foi eleita no fim de 2017 pela Dinheiro Rural como a segunda melhor empresa do Brasil na categoria cadeia da gestão produtiva. “É o reconhecimento de uma das maiores publicações especializadas do País. E muito disso se deve ao domínio que temos de todos os processos das cadeias produtivas, principalmente das de frangos e suínos”, afirmou Dilvo. O diretor-presidente apresentou números da edição mais recente do Show Rural Coopavel e lembrou que o desafio, desde o início, é levar informações que possam ajudar a transformar as propriedades rurais.

Com 530 expositores, a edição de 30 anos recebeu 265.350 visitantes das mais diversas partes do mundo e o volume de negócios chegou a R$ 1,8 bilhão. “Começamos com apenas 15 empresas e 110 visitantes. Essa evolução é resultado da dedicação, do empenho e da determinação de muitos”, pontuou Dilvo, ao apresentar um banner onde estão 72 palavras que foram listadas em reunião com coordenadores de 25 áreas e que definem o que é a feira. O Show Rural Coopavel, ressaltou o diretor-presidente, é a única do Brasil que tem tradicionalmente uma missa como abertura oficial dos trabalhos.

 

Palco

Devido à sua importância e projeção, a feira foi o palco de um evento que entra para a história do agronegócio. A Dow e a Dupont, duas gigantes do setor e que se uniram, fizeram na segunda-feira, 5 de fevereiro, o lançamento mundial de sua distribuidora de sementes, a Brevant. Diretores, representantes e jornalistas nacionais e estrangeiros prestigiaram a cerimônia, que passa a figurar como um dos mais vistosos capítulos do Show Rural Coopavel. Pela área também passaram os pré-candidatos à Presidência Álvaro Dias e Jair Bolsonaro e ao governo estadual Cida Borghetti, Osmar Dias e Ratinho Junior, além de senadores, deputados e secretários de Estado.

O diretor-geral da feira, Rogério Rizzardi, resumiu o sucesso dela em uma palavra, amor. “Todos dão o seu melhor e contribuem para engradecer o agronegócio e para levar o nome de Cascavel para todos os cantos da terra”. Valdinei Bobato falou como cooperado, agricultor, empresário e expositor. “O planejamento, a organização e o zelo devem inspirar nossas empresas”, afirmou. Já o empresário Roberto Pompeu disse que a evolução histórica da feira é surpreendente e que ela reúne números espantosos, para então fazer uma indagação: O que seria o Brasil sem o agronegócio? O presidente da Acic, Edson José de Vasconcelos, citou as contribuições do cooperativismo e do Show Rural Coopavel para o contínuo crescimento da produtividade e da economia do Oeste.

 

Olho: A feira foi desenhada em um guardanapo por Dilvo e Rizzardi em setembro de 1988 em retorno à visita que fizeram à maior feira do mundo, a Farm Progress Show

 

Legenda: O vereador Pedro Sampaio, o ex-presidente da Acic, Alci Rotta Júnior, Dilvo, o vereador Fernando Halberg e o atual presidente da Acic, Edson Vasconcelos, 

 

Legenda: Rogério Rizzardi e Dilvo Grolli durante encontro empresarial na associação comercial, quinta à noite, 1º de março

 

dilvonaacic2018 dilvonaacic2018-2Crédito: Assessoria